Whispering Willows

Existem alguns jogos desconhecidos que você olha o tema, o nome, fotos, vídeos promocionais e parece ser bem bacana (dado o baixo preço do indie), mas no final acaba se surpreendendo com a qualidade ou história. Em Whispering Willows acontece justamente o contrário: o jogo é pior do que o esperado.

Criado pela dupla de desenvolvedores do estudio Night Light Interactive em 2013 o jogo ganhou notoriedade como o primeiro bom jogo do OUYA, e assim foi conquistando outras frentes no Kickstarter e Steam Greenlight, portando-o para outras plataformas. O jogo foi bem recebido pelas críticas e ganhou alguns prêmios.

Na história do game você controla Elena, uma menina que esta a procura do seu pai perdido, sabendo que tem algo sobre ele na Willows Mansion. Para ajuda-la nessa jornada, Elena usa um amuleto dado pelo seu pai que a possibilita entrar em projeção na realidade dos mortos, interagindo com eles. Com uma mecânica adventure, você precisa descobrir objetos escondidos e resolver puzzles, em gráficos em 2D desenhado.

Elena precisa projetar-se no plano dos mortos para progredir na história.

A ideia é bem interessante, e se olhar nos vídeos, parece ser um jogo divertido. Para Elena passar em áreas apertadas ou impossíveis, como um pequeno buraco em uma parede, você precisa usar a projeção dos mortos, virando uma pequena bolinha e atravessando os obstáculos. Nessa projeção, você acaba vendo coisas que ali não existia, como um espírito ou objeto que somente pode ser interagido essa projeção. Apesar da ambientação sombria, a cor vibrante dos gráficos e algumas animações são legais, como quando você usa a projeção: a elena cai apoiada como se o espírito estivesse saido do seu corpo.

No entanto as boas qualidades param por ai. O andar de Elena ou dos inimigos no mapa tem uma animação um pouco feia e travada. Aparenta faltar polimento nos gráficos, onde algumas passagens ou portas são simples buraco no fundo, as vezes até confundindo se ali possui uma passagem ou não. Isso sem contar a tentativa de cutscene animada: é de uma qualidade sofrível, parece que as proporções das pessoas estão todas erradas. Podemos indagar que o jogo tenta aparentar algo mais simples de propósito, mas mesmo assim, é bem ruim.

Parece faltar polimento nos gráficos e na história.

A história que parece envolver o jogador em algum mistério e, conforme a própria descrição do jogo, haver um twist no final. Nesse tipo de jogo de aventura e descobrimentos, se a história foi bem boa, ela pode sobresair outros pontos fracos, como gráficos. Aqui essa tentativa vai por água abaixo. A jornada e a virada no final são fracas.

O jogo não possui quase nenhuma dificuldade, seja nos inimigos ou puzzle. Já o som do jogo tenta passar uma simulação de mistério e horror, mas sem muitos destaques. No entanto ela não é ruim, só não muito perceptível.

Um ponto importante é que o jogo é bem pequeno. Para quem quer sentar e terminar um game em uma tarde, esse pode ser sua escolha. Só não espere muito dele.

Whispering Willows foi lançado para OUYA, Steam, XBox One, PS4, Vita e Mobiles.

Prós:

  • Lançado para várias plataformas.
  • É bem curto.

Contras:

  • Animações ruins.
  • História não envolvente.
  • Jogo fácil.

Avaliação: Jogue quando tiver tempo.

João Paulo Sossoloti

Cresceu com videogames, prefere MegaDrive ao SNES e acha FFVII um jogo perfeito. Programador web, já rascunhou alguns jogos sem sucesso e gosta de escrever sobre coisas.