Hopiko

O mundo de games indedependentes está recheado de pequenos jogos interessantes e desafiadores. Hopiko poderia ser a gênese dessa afirmação.

Criado pela LaserDog em 2015 a ideia do desenvolvimento foi iniciado em uma Game Jam. A equipe, contendo um design e um programador, criou no evento um jogo em gravidade zero chamado Debris, onde um astronauta pode pular no espaço entre pontes e ferros que estão voando randomicamente pelo cenário. Esses conceitos foram implementados depois em Hopiko.

A história do jogo é bem simples e direto: dentro de cada videogame seres ditam o funcionamento da máquina em perfeita harmonia. No entanto, quando vírus alastra o interior desses consoles, cabe ao Hopiko salvar o aparelho dessas ameaças.

Por meio dos cenários e plataformas, seu objetivo na fase é chegar até onde o vírus está alojado e acertá-lo. A ideia consiste em apontar para uma plataforma e efetuar o salto para que Hopiko grude nela aguardando seu próximo salto (se você ficar parado em uma plataforma por muito tempo, morre). Para realizar um pulo você pode usar um botão no controle ou o direcional direito. O botão sempre “pula reto” em relação ao angulo da plataforma, já pelo direcional você pode indicar uma outra posisão, e ao soltar o analógico, o salto é efetuado. Os saltos entre as plataformas são instantâneos e a resposta aos controles são bem rápidas. O jogo é todo baseado em mecânica, e ela é muito boa.

Você deve pular entre as plataformas até acertar o virus alojado na fase.
Você deve pular entre as plataformas até acertar o virus alojado na fase.

O jogo é disposto em 5 mundos, cada mundo contém 10 estágios e cada estágio 5 fases. Você só completa um estágio finalizando as 5 fases em sequência, e caso morra, você volta no início daquele estágio. A primeira vista poderia ser um problema, mas assim como Ori and The Blind Forest e Super Meat Boy, o jogo é caucado na repetição até que você consiga realizar o estágio todo. No entanto, diferente dos jogos que comparei, as fases de Hopiko são muito rápidas: a mais demorada deve levar 10 segundos para ser completada (tem fases que duram 1 segundo!). Além disso, se você morre, fica muito claro que o “culpado” foi você, não algum inimigo que apareceu do nada. Isso torna a repetição não tão traumática ao jogador e o jogo mais divertido. Ainda, o esquema do controle do personagem ser no direcional direito foi um fato pesquisado pelo pessoal da equipe. Eles viram que por causa dos shooters, onde a mira da arma é feita pelo direcional direito, a precisão do jogador é bem melhor para acertar as plataformas.

Completando estágios de um mundo, após uma certa quantidade de pontos, você libera três outros modos de jogo:

  • Especial: um jogo extra onde você controla um carrinho, simulando aqueles jogos do atari de F1, mas ainda com o objetivo de encontrar e acertar o virus na fase.
  • Speed Run: jogue todas as fases daquele mundo em sequência, podendo morrer, mas o cronômetro não pára.
  • Hardcore: novamente toda as fases em sequência, mas somente com uma única vida. Morreu acaba.

O jogo contem uma barra superior durante o jogando. Se conseguir finalizar aquela fase antes da barra esgotar, você ganha um “check”. Complete as 5 fases do estágio com “check” para finalizá-lo por completo (que não resulta em nada, só achievements). Além disso, durante o menu de escolhas dos estágios, há um marcador de repetição indicando quantas vezes você voltou até conseguir passá-la com sucesso, só para dar aquele sentimento deprimente ao jogador (a maior repetição em uma fase minha foi tentá-la por 80 vezes :/ )

Os gráficos são simples mas bem trabalhados. A temática seria aos moldes dos 8bits mas muito colorido e dinâmico, agradando aos olhos. Quanto ao level design, por ser um jogo baseado totalmente em mecânica e pela velocidade dos pulos, não poderia ser menos do que ótimo. Os desenvolvedores criaram seu próprio gerador de template de fases, ajustando-as até ficarem boas para o jogador.

O level design das fases é muito bom.
O level design é muito bom.

Já o som do jogo é de um trabalho muito bem feito pelo pessoal da LaserDog. A musica de gênero eletrônico é compassada e cativante, ajudando o ritmo dos saldos até você acertar o virus da fase. Se não bastasse, ela foi feita em chiptune dentro de um GameBoy original! Foi criado 20 faixas originais usando um programa chamado LSDJ, composto e exportado do GameBoy. E ficaram ótimas.

Por fim, você pode ler mais detalhes técnicos do desenvolvimento que levou meros 8 meses no próprio blog da LaseDog.

A velocidade que você consegue finalizar as fases é impressionante.
A velocidade que você consegue finalizar as fases é impressionante.

Hopiko está disponível para XBox One, PC (Steam) e plataformas mobile.

Prós

  • Controle do personagem.
  • Level Design.
  • Fases rápidas.
  • Som.

Contras

  • O controle das fases de carrinho é bem ruim.

Avaliação: Jogue Agora!

 

 

 

João Paulo Sossoloti

Cresceu com videogames, prefere MegaDrive ao SNES e acha FFVII um jogo perfeito. Programador web, já rascunhou alguns jogos sem sucesso e gosta de escrever sobre coisas.